História do projeto e da construção da ponte: trabalhando debaixo d'água

Um dos maiores desafios da construção aconteceu debaixo d'água. A torre sul estava localizada a mais de 335 metros (1.100 pés) do litoral de São Francisco. Para construir as estruturas da torre sul, os mergulhadores tiveram um papel crucial, descendo até 33 metros (110 pés) nas turbulentas águas do Estreito de Golden Gate. Eles colocavam cargas de dinamite e removiam material solto da base rochosa com mangueiras de alta pressão. Posteriormente, desciam para orientar o posicionamento dos moldes e funis usados para colocar o concreto da proteção da torre sul.

Os mergulhadores trabalhavam em águas que eram escuras, sombrias e frias, e somente quando a maré mudava e as correntes normalmente fortes diminuíam, o que acontecia quatro vezes por dia. Os cilindros de ar portáteis ainda não tinham sido inventados. A vida do mergulhador dependia do constante bombear de ar por uma longa mangueira desde a superfície.

A imagem mostrada acima é cortesia da Sociedade Histórica de São Francisco - Huggins Collection - CHS.Huggins.002

Saiba mais


Mergulhadores com seu pesado equipamento, antes de colocar os capacetes.

 


Operários carregam cargas de explosivo em uma armação que depois era baixada até o leito do mar e posicionada pelos mergulhadores.


Se o mergulhador subisse rápido demais à superfície, podiam ser liberadas bolhas de ar na sua corrente sanguínea, um problema conhecido como "doença por descompressão" ou "bends". Câmaras de descompressão eram mantidas nas proximidades por precaução.