Preservação histórica: retrofit do isolador sísmico


Atualmente, sabemos mais sobre terremotos do que sabíamos na década de 1930, quando a Ponte Golden Gate foi construída. Tirando proveito dessas novas informações, duas estratégias de retrofit foram usadas em partes da ponte para proteger contra grandes terremotos: 1) reforçar partes da ponte para resistirem às forças associadas a terremotos fortes; e 2) tornar a ponte mais flexível para balançar com o golpe de um terremoto. Os isoladores sísmicos são dispositivos que permitem que a ponte se mova em um terremoto; este movimento reduz as forças que a ponte enfrenta durante o terremoto. Você pode ver isoladores próximos, à sua esquerda, na passagem subterrânea. Os isoladores sísmicos são os cilindros pretos com cerca de um metro (três pés) de diâmetro.

Quando uma ponte está rigidamente ligada ao solo, ela sofre diretamente o abalo rápido e abrupto do terremoto. Quando a ponte está montada sobre isoladores sísmicos, os isoladores deformam-se de um lado para o outro durante o terremoto permitindo que a ponte balance de um lado para o outro, suavizando as vibrações que a estrutura sofre. Quando a ponte é isolada, as forças podem ser reduzidas em até dois terços quando comparada a uma ponte não isolada.

Inventado na Nova Zelândia na década de 1970, um tipo comum de isolador é feito de camadas de aço e borracha ligadas. Às vezes há um orifício no meio no qual é inserido um tampão de chumbo para aumentar a absorção de energia.

Mais imagens


O isolador montado aqui foi secionado para mostrar seu corte transversal (com camadas de aço e um tipo especial de borracha).